MBC acompanha lançamento dos Rankings de Competitividade de 2022

Ativo 1 16 setembro, 2022

Foto CLP Brasil

Representantes do Movimento Brasil Competitivo (MBC) e da Frente Parlamentar pelo Brasil Competitivo (FPBC) participaram, na última terça-feira, 13, do evento de lançamento dos Rankings de Competitividade dos Estados e Municípios 2022, realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em São Paulo. A classificação estadual está em sua 11ª edição e é fruto de uma parceria técnica com a Tendências Consultoria e a startup Seall, enquanto o Ranking de Competitividade dos Municípios está na terceira edição e apresenta a realidade socioeconômica das 415 cidades do Brasil com mais de 80 mil habitantes, numa parceria do CLP com a Seall e a Gove Digital.

O ranking estadual avalia as 27 unidades federativas com base em 86 indicadores, distribuídos em dez pilares temáticos considerados fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão pública dos estados: infraestrutura, sustentabilidade social, segurança pública, educação, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano, sustentabilidade ambiental, potencial de mercado e inovação. O levantamento também avalia desmatamento e recuperação de áreas degradadas, enquanto a temática social leva em conta indicadores como cobertura vacinal, obesidade e desnutrição infantil. O estudo ainda incorpora as temáticas da equidade de gênero e de remuneração na administração pública.

Os estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste estão nas primeiras posições, com os estados do Norte e Nordeste ocupando as posições mais baixas. Assim como nas últimas oito edições do ranking, o estado de São Paulo segue na primeira colocação. Santa Catarina também permanece na segunda posição. Já o Paraná avançou uma posição e passou para terceiro lugar, desbancando o Distrito Federal, que caiu para quarta posição.

“Somente um ecossistema de gestão pública baseado em dados e evidências pode de fato gerar a transformação que esperamos. O ranking é uma ferramenta que auxilia o gestor público a definir prioridades, presta contas à sociedade e ajuda a atrair e focalizar investimentos públicos e privados”, afirma Tadeu Barros, diretor-presidente do CLP, que é uma organização suprapartidária que busca engajar a sociedade e desenvolver líderes públicos para enfrentar os problemas mais urgentes do Brasil.

Para a analista de Advocacy Ana Carolina Carvalho, que representou o MBC no lançamento dos rankings, os dados divulgados pelo CLP vão ser úteis para o MBC e a Frente Parlamentar pelo Brasil Competitivo elaborarem uma abordagem de competitividade regionalizada, no próximo ano. “Por enquanto nossa visão é muito macro e nacional, mas com a aproximação que estamos construindo com o CLP, poderemos ampliar nossa abordagem e elaborar algumas ações focadas nos estados. No evento, foi muito bom perceber, nos relatos dos gestores públicos, que os resultados de cada indicador dos rankings já são usados como fonte de consulta para eles, e também para os investidores, saberem onde devem alocar mais recursos, tanto humanos quanto financeiros. Isso reforça a importância de termos políticas públicas pautadas em evidências, como defendemos no MBC”, afirmou a economista responsável por ajudar a construir análises e posicionamentos técnicos para o MBC e a FPBC.

ESTADOS – O estado que mais evoluiu em relação ao ano anterior foi o Rio de Janeiro, que avançou seis colocações e subiu para a 11ª posição. Depois veio Roraima, que saiu da última nota em 2021 para a 22ª posição este ano. No Nordeste, o representante mais bem colocado é a Paraíba (12ª), tendo avançado duas posições em relação ao ano passado, seguido pelo Ceará (13ª), que perdeu uma posição. Alagoas também perdeu um posto, caindo para o 14° lugar.

Mesmo tendo caído cinco colocações, Amazonas é o representante do Norte com melhor colocação (16ª). O Espírito Santo (10ª) e o Piauí (25ª) também estão cinco posições abaixo na comparação com o ranking de 2021. Os últimos colocados nesta edição foram Maranhão (26ª) e Amapá (27ª).

MUNICÍPIOS – Barueri é o município mais competitivo do Brasil. Entre as capitais, Florianópolis (SC) é pela segunda vez consecutiva a capital mais competitiva do país. A cidade catarinense é seguida por Porto Alegre (RS), São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Vitória (ES). A classificação geral das capitais ficou da seguinte maneira: Florianópolis (2ª), Porto Alegre (4ª), São Paulo (5ª), Curitiba (6ª), Vitória (9ª), Belo Horizonte (12ª), Rio de Janeiro (46ª), Palmas (71ª), Recife (82ª), Goiânia (88ª), Campo Grande (89ª), Cuiabá (118ª), Fortaleza (125ª), João Pessoa (142ª), Teresina (159ª), Salvador (193ª), Manaus (199ª), Natal (205ª), Aracajú (207ª), Rio Branco (215ª), São Luís (218ª), Boa Vista (226ª), Maceió (230ª), Belém (279ª), Porto Velho (298ª) e Macapá (382ª).

Todos os municípios foram avaliados a partir de 65 indicadores, distribuídos em 13 pilares temáticos e três dimensões consideradas fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão pública nas cidades brasileiras. Os pilares são: sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, acesso à saúde e qualidade, acesso à educação e qualidade, segurança, saneamento, meio ambiente, inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital Humano e telecomunicações.

>> Confira todos os resultados do ranking dos estados
>> Veja as classificações dos 415 municípios

Com informações da Assessoria de Comunicação do CLP

Inscreva-se na nossa newsletter!

Receba o Acontece no MBC, news mensal que reúne nossas ações e projetos para a melhoria do Brasil

Newsletter (Popup)