Educação é fundamental para a melhoria da competitividade

Ativo 1 15 Abril, 2021

Os desafios para uma gestão eficiente e para um país mais competitivo foram temas debatidos nesta quarta-feira, 14, durante encontro virtual realizado pela Academia Brasileira de Qualidade (ABQ). A diretora executiva do Movimento Brasil Competitivo, Tatiana Ribeiro, foi uma das convidadas e ressaltou a importância da redução do custo Brasil e do investimento em educação para a melhoria da qualidade de vida da população.  O presidente da ABQ, Eduardo Guaragna, e o presidente da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Ronald Dausha, também foram palestrantes do evento.

A diretora executiva do MBC, Tatiana Ribeiro, explicou durante o encontro o estudo que foi realizado pela organização em parceria com o Ministério da Economia, estimou o custo Brasil em R$ 1,5 trilhão ao ano, o que representa 22% do PIB nacional. Segundo Tatiana, a falta de profissionais com formação qualificada é um dos fatores que compõem esse custo e o que tem mais peso sobre as empresas. “O tema educação é o maior gargalo calculado pelo estudo. Ele representa cerca de R$ 300 bilhões ao ano em relação à perda de produtividade para o setor empresarial, o que está muito relacionado às deficiências de formação”, explicou.

Nesse sentido, Tatiana afirmou que a educação profissionalizante é um dos pilares defendidos pelo Movimento Brasil Competitivo para a melhoria da economia e da competitividade brasileira. Para a diretora, melhorar o ambiente de negócios do país é essencial para gerar mais renda para a população. “O ensino técnico pode ser uma forma de avançar com a agenda de requalificação da mão de obra e mudar a cultura do país. Acelerar a requalificação do trabalho é uma ferramenta para levar mais produtividade para o mercado e contribuir com o aumento de renda e redução do desemprego”, afirmou Tatiana.

O presidente da ABQ, Eduardo Guaragna, concordou que a deficiência da formação profissional é um dos problemas mais urgentes do Brasil, inclusive no contexto da eficiência de gestão. “A gestão necessita de uma escada de conhecimento e a formação profissional é o que habilita a construção dessa escada com a estrutura necessária”, explicou Guaragna. Para o presidente, a inovação também não existe sem uma educação de qualidade. “Sem educação, não há futuro nem para a organização, nem para o país”, afirmou.

Para o presidente da FNQ, Ronald Dausha, um dos caminhos para a melhoria da competitividade é apostar em uma sociedade 5.0. Dausha explicou que essa sociedade é baseada na inovação com as novas tecnologias. “Outro aspecto que define uma sociedade 5.0 é a educação profissionalizante localizada em áreas carentes ou perto de setores demandantes”, explicou o presidente da FNQ.

Assessoria de Comunicação Social do MBC

Inscreva-se na nossa newsletter!

Receba o Acontece no MBC, news mensal que reúne nossas ações e projetos para a melhoria do Brasil

Newsletter (Popup)