Presidente do Conselho Superior do MBC é condecorado em cerimônia

Ativo 1 12 dezembro, 2018

O presidente do Conselho Superior do Movimento Brasil Competitivo, Jorge Gerdau, e outras 58 personalidades nacionais que prestaram relevantes contribuições à indústria, ao comércio exterior e aos serviços do país foram condecoradas nesta quarta-feira, 12, em Brasília. Eles receberam medalhas da Ordem Nacional Barão de Mauá, criada por iniciativa do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). As insígnias foram entregues pelo presidente Michel Temer, Grão-Mestre da Ordem, em solenidade oficial no Palácio do Planalto.

Para o ministro Marcos Jorge, Chanceler e Grão-Cruz da Ordem, os homenageados contribuíram para que o Brasil tenha um setor produtivo mais competitivo. Ele citou também ações do MDIC que contribuíram para a retomada do crescimento econômico e aumento da competitividade do setor produtivo, como o Novo Processo de Importação do Portal Único de Comércio Exterior, que facilita compras externas e incentiva o comércio internacional. Com a efetivação de todas as ferramentas do Portal Único, a meta é que os prazos médios para se realizar uma exportação ou uma importação no Brasil sejam os mesmos dos países da OCDE. O tempo médio para se vender um produto brasileiro ao exterior já foi reduzido em 50%, de 13 dias para 6,4 dias.

Para Jorge Gerdau, condecorado com a classe Grã-Cruz, maior reconhecimento na área da indústria e comércio, o prêmio é importante porque reforça a relação da sociedade civil com o setor público brasileiro. “Essa relação entre sociedade civil, empresariado e setor público é decisiva para o desenvolvimento econômico. É muito gratificante ver que o trabalho que tenho realizado com interesse na melhoria do país é reconhecido”, disse Gerdau.

Ordem Nacional Barão de Mauá

O gaúcho Irineu Evangelista de Sousa recebeu o título de “Barão de Mauá” do imperador Dom Pedro II em 1854 por ter sido pioneiro da industrialização brasileira. Aos 32 anos, convencido de que o Brasil deveria trilhar esse caminho, construiu um estaleiro e deu início à indústria naval brasileira. Criou a Companhia Fluminense de Transportes, a Companhia de Navegação a Vapor do rio Amazonas, a Companhia de Iluminação a gás do Rio de Janeiro e a primeira estrada de ferro da América do Sul.

Alçado a Visconde, foi o precursor do capitalismo na América do Sul, ao adotar em suas empresas recursos e maquinários em uso na Europa e nos Estados Unidos a partir da Revolução Industrial do século XIX.

Com informações do MDIC