Patrimônio humano é essencial para aumento da competitividade

Ativo 1 18 novembro, 2019

O conselheiro executivo do Movimento Brasil Competitivo (MBC), Rogério Caiuby, participou na quarta-feira, 6 de novembro, do VI Seminário ABQ Qualidade Séc. XXI, em São Paulo. Caiuby foi convidado para falar sobre casos reais de fomento à competitividade sustentável, em conjunto com o secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia, Gustavo Ene. Foram convidados também o superintendente da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), Jairo Martins, e o Head de Estratégia de Encadeamento Produtivo do Sebrae, Renato Salles Junior. 

Rogério Caiuby destacou durante o evento a importância de o país criar um ambiente para que as empresas tenham capacidade de competir em igualdade com os concorrentes internacionais. Nesse sentido, o conselheiro do MBC destacou o patrimônio humano como uma das respostas para a competitividade nacional. “Acredito que isso pode ajudar a nos colocar no patamar de competitividade internacional, porque prepara os jovens para serem uma força motriz da competitividade”, afirmou Caiuby.  

O conselheiro executivo do MBC afirmou ainda que a organização realiza atualmente um projeto em conjunto com o Ministério da Economia para redução do Custo Brasil e consequente aumento da competitividade nacional. “Queremos criar uma sistemática de avaliação das sugestões de iniciativas que o governo já recebe do setor privado para que possamos entender de que forma elas são convergentes e quais têm o maior potencial de impacto”, explicou Rogério Caiuby. 

secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia, Gustavo Ene, falou durante o painel sobre os desafios da produção sustentável para empresas e para o setor público. Segundo Ene, ela implica na maior eficiência no uso de energia, água e materiais, para reduzir os custos operacionais e fomentar a criação de novos produtos e processos de baixo impacto ambiental. “Esse é um diferencial na competitividade e o fator para acesso a mercados”, afirmou o secretário.  

Assessoria de Comunicação Social do MBC