Histórico

O início da jornada por gestão de qualidade e um país mais competitivo

Abaixo você verá algumas ações que marcaram a história do MBC.

1990

O Governo Federal cria o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade (PBQP) como resposta à política de abertura dos mercados nacionais e do consequente processo de reforma nas organizações públicas brasileiras. O PBQP tinha a missão de propagar novas técnicas de gestão com o objetivo de modernizar as empresas brasileiras e aumentar a eficiência da produção nacional.

1992

Uma ampla articulação entre representantes dos setores público, privado e da sociedade civil, no Rio Grande do Sul, lança o Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP). O objetivo era divulgar a filosofia e os principais conceitos da qualidade para aprimorar os produtos e serviços das empresas gaúchas e melhorar a qualidade de vida da população do estado. O PGQP foi o embrião do MBC.

2001

Nasce, no Rio de Janeiro, o Movimento Brasil Competitivo (MBC), resultado de uma aposta do Movimento Brasileiro de Qualidade e Produtividade, que, representado pelos setores público e empresarial, cria uma nova instituição que amplia para a sociedade civil a missão do governo federal de promover a competitividade do Brasil e reformar o Estado brasileiro. O MBC é a primeira Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) no Brasil. Também é a única organização da sociedade civil cuja composição do conselho tem a participação de quatro ministérios. Jorge Gerdau Johannpeter assume como presidente do Conselho Superior do MBC.

2002

O MBC deixa o Rio e estabelece sua sede no Distrito Federal. O primeiro projeto da organização, feito em parceria com o Sebrae, é a Rede de Cooperação Brasil +, que tem o objetivo de aprimorar a gestão das micro e pequenas empresas brasileiras. A Rede de Cooperação Brasil + realiza o prêmio de competitividade para micro e pequenas empresas, o atual MPE Brasil, e promove a rede de programas estaduais QPC (Qualidade, Produtividade e Competitividade). A Rede QPC tinha o objetivo de gerar uma cadeia de valor para estimular a criação de programas estaduais de qualidade, produtividade e competitividade em todos os estados brasileiros. Foi encerrada em 2016.

2003

É inaugurada a parceria Mobilizar para Inovar, com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A cooperação tem o objetivo de difundir a cultura da inovação por meio da promoção de políticas de apoio à inovação. Nesse ano, o MBC lança seu Planejamento Estratégico e realiza, pela primeira vez, o Congresso Internacional Brasil Competitivo e o Evento de Reconhecimento Nacional às Micro e Pequenas Empresas.

2004

O MBC estabelece acordo com a Fundação Dom Cabral e o Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum), para a formulação do Relatório Global de Competitividade (Global Competitiveness Report) . Realiza o primeiro Seminário Nacional dos Programas Estaduais e Setoriais de Qualidade, Produtividade e Competitividade e a primeira edição do Seminário Nacional de Educação Brasil Competitivo. Conquista a certificação ISO 9001:2000. E assina convênio com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços para a realização da Bienal Brasileira de Design.

2005

Experiência bem sucedida de parceria com o estado de Minas Gerais inspira a criação do Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP). As duas primeiras adesões são seladas pela Prefeitura de São Paulo e pelo atual Ministério do Desenvolvimento Social e Reforma Agrária. Iniciativa do MBC, o PMGP leva a expertise empresarial em gestão para as administrações públicas brasileiras, contribui para incentivar a cultura de governança e melhorar a prestação dos serviços à população.

2006

MBC lança, em parceria com a Câmara Americana de Comércio para o Brasil (AMCHAM), o Painel de Competitividade 2006, que reúne os principais indicadores globais para avaliar os maiores entraves ao desenvolvimento. Com o Banco Mundial, a International Finance Corporation e a Agência para o Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (Usaid), realiza o Doing Business no Brasil, estudo em 12 estados e capitais do País para avaliar o impacto da regulamentação na competitividade. Dobra o número de empresas candidatas ao Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas – MPE, de 2.226, em 2002, para 4.613. O MBC e a Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Heuser (FEE) divulgam o Índice de Competitividade Estadual – Fatores (ICE– F), que avaliou a competitividade dos 27 estados brasileiros. É realizada a I Bienal Brasileira de Design.

2007

O MBC sela parceria com o Conselho de Competitividade Americano e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), para estimular o intercâmbio de conhecimento e de negócios entre Brasil e Estados Unidos. A cooperação é inaugurada com a realização da primeira Conferência de Inovação Brasil-EUA. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) alcança Alagoas, Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e prefeituras de São Paulo e Porto Alegre.

2008

O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) ganha adesão do Mato Grosso e da Bahia, além dos governos do Rio de Janeiro, Distrito Federal, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. Também atua nas prefeituras de São Paulo e Porto Alegre. Com investimento de R$ 37 milhões em 2007 e 2008, o programa consegue gerar, em todo o Brasil, economia de quase R$ 10 bilhões, com redução de custos e melhoria da eficiência da arrecadação. O MBC lança com a Microsoft o Prêmio Prefeito Inovador, para estimular a inovação nos governos municipais. Acontece a primeira edição nacional do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas, o MPE Brasil. Em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o MBC realiza, em oito estados, os Seminários de Inovação.

2009

Com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Conselho de Competitividade Americano, o MBC promove sete edições dos laboratórios de Aprendizagem em Inovação Brasil-Estados Unidos. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) gera ganhos de R$ 11,8 bilhões em redução de despesa e aumento de receita, com um custo de R$ 70,5 milhões. E alcança o governo do Pará e as prefeituras do Rio de Janeiro, de Aparecida de Goiânia (GO), de Pelotas (RS) e de Rio Grande (RS). Também atua em Mato Grosso, Bahia, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e nas prefeituras de São Paulo e Porto Alegre.

2010

O MBC cria, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Prêmio Nacional de Inovação (PNI), que reconhece projetos inovadores e experiências bem sucedidas em gestão da inovação. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) contabiliza ganhos acumulados de R$ 14 bilhões em geração de receita e otimização de despesas, atuando em 10 estados, oito capitais, além do Distrito Federal.

2011

O Governo Federal cria a Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade (CGDC), vinculada ao Conselho de Governo da Presidência da República com o objetivo de modernizar a administração pública com base em experiências do setor privado. Em parceria com a Câmara, o MBC desenvolve programas inovadores nas áreas de estratégia, infraestrutura e cultura. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) alcança 13 unidades da federação, 11 municípios e órgãos dos poderes Executivo e Judiciário. Atinge a marca de R$ 14,5 bilhões em aumento de receita e redução de despesas, com o investimento privado de R$ 73,7 milhões.

2012

Em parceria com o Ministério dos Transportes, o MBC realiza o Evento Internacional de Trocas de Melhores Práticas, para estimular o acesso a melhores práticas no setor de transportes. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) está implantado em 14 governos estaduais, 12 municípios, quatro ministérios, duas secretarias da Presidência da República e dois órgãos do Poder Judiciário.

2013

O MBC promove a 3ª Conferência de Inovação Brasil-EUA, para aumentar o intercâmbio entre os dois países na área de inovação. Junto à Câmara Brasileira da Indústria da Construção e da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), realiza o estudo “O Custo da Burocracia no Imóvel”. O Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) atua em 14 estados, 12 municípios, seis ministérios, uma secretaria da Presidência da República, dois órgãos do Poder Judiciário, uma empresa do governo federal e uma agência reguladora.

2014

Após 13 anos de atuação, o MBC realiza uma reflexão estratégica de suas atividades para avaliar a série de projetos desenvolvidos desde sua criação e definir ações para o futuro. O resultado é a apresentação do Planejamento e do Mapa Estratégico, com metas fundamentais para o desenvolvimento do país, que vão contribuir para que o Brasil se desenvolva e seja uma das 30 nações mais competitivas do mundo até 2030.

2015

Por iniciativa do MBC, empresários e governadores se unem para lançar o Pacto pela Reforma do Estado, que tem a missão de criar uma coalizão para melhorar a eficiência do setor público e ampliar a competitividade do Brasil. O Pacto começou com oito governadores e hoje é composto por 18 governos estaduais. Ao completar 10 anos de atuação, o Programa Modernizando a Gestão Pública (PMGP) passa a ter dois formatos, que envolvem a atuação com consultorias em gestão pública e com especialistas com formação específica. O programa alcança uma economia de R$ 14,5 bilhões em redução de despesas e ganhos de receita para os governos estaduais, municipais e organizações públicas que aderiram.

2016

O MBC completa 15 anos de atuação com novos projetos para o desenvolvimento do País. Um deles é o Brasil Digital, que, com forte engajamento do setor empresarial, quer construir as bases para a digitalização da economia do País.