Governo e setor produtivo já debatem as próximas ações para redução do custo

Ativo 1 29 novembro, 2019

Durante o Encontro Anual do Movimento Brasil Competitivo nesta quinta-feira, 28, em São Paulo, governo e setor produtivo concluíram que a partir do lançamento do Programa de Melhoria Contínua da Competitividade será necessário que ambos se esforcem para dar continuidade ao projeto de combate ao custo Brasil.

Para o presidente do Conselho Superior do MBC, Jorge Gerdau, o desafio dos empresários é elencar concretamente as dificuldades e dentro de subgrupos tratar tecnicamente o tema, permitindo um processo mais eficiente. “O setor produtivo terá que maximizar estes resultados alcançados até aqui”, disse. Para Gerdau, combater o custo Brasil pode significar para o país um ganho real de eficiência e eficácia melhorando os processos e ainda reduzindo os custos de produção, deixando o país competitivo.

“Esse estudo vai definir como o Brasil vai se integrar ao mundo”, disse o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), Fernando Pimentel, se referindo ao anúncio do estudo que revelou que por ano, o custo Brasil consome das empresas um valor de aproximadamente R$ 1,5 trilhão, o que representa 22% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional (divulgado durante o evento). Pimentel fez uma análise de crescimento do país nos últimos 30 anos, criticando a taxa de apenas 2% de crescimento. Segundo ele, o país é o quarto produtor e o segundo exportador de algodão do mundo. “Exportamos vestuário a U$ 25 o quilo, a cada bilhão exportado geramos cerca de 100 mil postos de trabalho formais e informais, mas cada passo que é dado na agregação de valor no país tem sido perverso, porque este custo Brasil vai se sobrepondo a cada atividade que você inove e crie valor. Ao longo dos anos fomos perdendo a capacidade de agregar valor”, avaliou. Pimentel destacou que a parceria público privada desenvolvida para combater o custo Brasil é uma grande oportunidade para que os dois setores trabalhe em conjunto encontrando as melhores soluções.

O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, que lançou o Programa de Melhoria Contínua da Competitividade, participou do painel e disse que em três semanas será criado um comitê público e privado, formado por representantes dos dois  setores e que irão sugerir, apoiar a implementação das mudanças da redução do custo. “Já estamos adotando as primeiras medidas, como o choque do gás, isso já vai ter um impacto importante na redução do item de insumos do custo, a liberdade econômica, as medidas trabalhistas que já foram iniciadas no governo anterior. Mas ainda precisamos mensurar o tempo para estimar o prazo da diminuição desse custo”, disse.

Da Costa destacou ainda que a existe uma plataforma que já está aberta para receber as propostas do setor produtivo e que as equipes técnicas estão preparadas para a análise.

Assessoria de Comunicação Social do MBC

Foto: Tiago Mendes