Fórum promovido pelo IEL debate soluções para superar incertezas

Ativo 1 08 novembro, 2017

A primeira edição do Fórum IEL de Gestão reuniu cerca de 800 pessoas, entre lideranças empresariais, industriais e políticas, na tarde desta terça-feira, 7. Com o tema Estratégia e Execução em Tempos de Incerteza, o evento teve a presença do ex-ministro da Fazenda e diretor financeiro do Banco Mundial, Joaquim Levy, do presidente do Grupo 3corações, Pedro Lima, e do CEO da Vale, Fabio Schvartsman.

O presidente do Sistema Findes, Léo de Castro, enfatizou a troca de experiências propiciadas pelo evento. “Queremos enriquecer nossas lideranças com conhecimento para que possamos chegar em 2018 tomando decisões corretas, trabalhando em busca do crescimento tão almejado pelo setor produtivo. Este novo evento mostra o interesse do empresariado por espaços de disseminação de boas práticas”, ponderou.

O primeiro painel, intitulado “Cenário Econômico”, reuniu o ex-ministro Joaquim Levy, o diretor-executivo do Ideies, Marcelo Saintive, e o secretário estadual da Fazenda, Bruno Funchal. “No Banco Mundial, vejo países pequenos, com o tamanho do Espírito Santo, que têm no capital humano e na governança uma grande capacidade competitiva. O Estado tem todas as condições necessárias para concorrer e vencer globalmente”, afirmou Levy.

Foram discutidos também as vantagens e os desafios do Espírito Santo. Entre os pontos citados: posição geográfica estratégica; bons indicadores de educação e qualidade de vida em comparação nacional; forte influência da indústria na economia; crescimento do setor extrativo nos últimos 15 anos; alto índice de exportações, porém, com uma pauta ainda pouco diversificada e de baixa/média intensidade tecnológica.

No momento dedicado à discussão de estratégias, participaram o CEO da Vinci Partners, Alessandro Horta, e o diretor de Inovação e Tecnologia da Fibria, Fernando Bertolucci, com mediação do presidente do Banestes, Michel Sarkis. “Risco e incerteza são coisas diferentes. A incerteza anda ao lado da inovação, porque exige mudanças. Ter uma boa estratégia é mitigar a exposição e o risco ao decidir se lançar em um caminho novo”, exemplificou Bertolucci.

No último painel do evento, a execução foi tema central da conversa entre o CEO da Vale, Fábio Schvartsman, e do presidente do Grupo 3corações, Pedro Lima, mediada pelo presidente do Movimento Brasil Competitivo, Claudio Gastal. “A coisa mais importante de um negócio é seu consumidor”, pontuou Lima, enquanto detalhava o programa de pós-venda da empresa. Questionado sobre o desafio de gerir uma das maiores indústrias de café da América Latina, Lima acrescentou: “quem executa precisa ter firmeza, transparência e regularidade. Precisa ter sangue no olho”.

O CEO da Vale destacou a importância do trabalho em equipe. “A maior prova do sucesso de um gestor se dá no momento em que deixa a empresa. Se os projetos se sustentam, é sinal de que o legado foi verdadeiro e a equipe continuará evoluindo. Quando assumi a Vale, reuni 17 executivos e consegui construir um diagnóstico excelente em 60 dias, uma visão que demoraria uma vida inteira para aprimorar sobre os desafios da companhia”, argumentou.

Com informações do Sistema Findes / Fotos: Thiago Guimarães