Movimento Brasil Competitivo



Diminuir Texto
Aumentar Texto
Glossário
Relatório Focus
Resumo Semanal
02 a 06/03/17

Crescimento

  • Mercado reduz na margem a projeção para o PIB neste ano, de 0,49% na última semana para 0,48% nesta;
  • Sobe também a projeção para o PIB do próximo ano, de 2,39% para 2,40%;
  • Otimismo em relação à produção industrial neste ano. Crescimento esperado pelo mercado vai de 1,09% para 1,22%;
  • Já para o próximo ano, mercado reduz expectativas de crescimento da indústria, de 2,19% para 2,06%;

 

Inflação

  • Mercado volta a abaixar expectativas para inflação neste ano. IPCA esperado para 2017 passa de 4,36% para 4,19%;
  • Segue constante IPCA projetado para o próximo ano em 4,50%;
  • Grupo Top 5 eleva projeções para inflação no médio prazo e também para 2018, indicando certo cuidado quanto à avaliação do cenário econômico, e possíveis mudanças deste ainda em 2017.

 

Taxa de Câmbio e Taxa de Juros

  • Taxa de câmbio segue projetada em R$/US$ 3,30 ao fim deste ano, e R$/US$ 3,40 ao fim de 2018;
  • Previsões para Taxa Selic sofrem novo reajuste, após constância na última semana. Em 2017, projeção da Selic vai de 9,25% para 9,00%. Para 2018, projeção da taxa vai de 9,00% para 8,75%.

 

Notícias do Mercado

  • Segundo o IBGE, o resultado registrado pela economia brasileira em 2016 foi de queda de 3,6% no PIB. Esse é o segundo ano consecutivo de queda na atividade, já que me 2015 o resultado da economia foi de -3,8%. No quarto trimestre de 2016, a queda registrada foi de 0,9% do PIB, completando 11 trimestres consecutivos de recessão. A queda do setor de agropecuária, considerando o ano de 2016, foi de 6,6%. Em relação à indústria, o resultado foi de -3,8%, e quanto ao setor de serviços, o resultado foi de -2,7%. A taxa de investimento registrada em 2016 foi de 16,4%, a pior da série histórica do IBGE;
  • A queda no rendimento da população brasileira desde o início da recessão em 2014 foi de 9,1%, segundo o IBGE, mensurado pelo PIB per capita (valor total do PIB do país dividido pelo número de habitantes). O consumo das famílias também apresentou queda em 2016, de 4,2%. Em 2015, o mesmo indicador também recuou (-3,9%);
  • Após quase três anos em tendência de queda, a produção industrial cresceu 1,4% em janeiro em relação ao mesmo mês do ano passado.  Entre os meses de dezembro de 2015 e janeiro de 2016, a produção industrial caiu 0,1%, já descontada a sazonalidade, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) divulgada pelo IBGE. Setorialmente, doze dos vinte e quatro segmentos contribuíram negativamente para o recuo na margem da indústria nesse primeiro mês do ano. O grupo de veículos automotores, reboques e carrocerias mostrou queda de 10,7%, devolvendo parte da expansão observada em dezembro. Dentre os ramos que apresentaram desempenho positivo, a maior alta foi observada no segmento de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (21,6%). 
 
Voltar
{Ir para o topo}



MBC

Setor Comercial Norte, Quadra 1, Bloco C
Sala 1708, Ed. Brasília Trade Center
CEP 70.711-902 - Brasília, DF
55 61 3329 2101 | 55 61 3329 2102
mbc@mbc.org.br

© 2014 Movimento Brasil Competitivo. Todos os direitos reservados.